Assista aos vídeos das RedesFito. Clique aqui.

Arrow up
Arrow down
logotipo redesfito


O e-book “Plantas Medicinais do Jardim Botânico de Porto Alegre” foi lançado nesta quarta-feira (26), no Centro Administrativo Fernando Ferrari. A obra integra as ações do projeto Arranjo Produtivo Local de Plantas Medicinais e Fitoterápicos do Rio Grande do Sul ( Projeto APLPMFITO/RS).

O conteúdo apresenta as 18 espécies mais utilizadas no RS e que fazem parte do horto demonstrativo e medicinal localizado no Jardim Botânico, em Porto Alegre. O local é aberto à visitação pública e de escolas, pesquisadores e universidades. 
O livro, produzido por meio de uma parceria entre a Secretaria Estadual da Saúde (SES) e o Jardim Botânico, foi organizado pelos especialistas Clarice Azevedo Machado e José Fernando da Rosa Vargas.

O conteúdo pode ser acessado em   E-book Plantas Medicinais e Fitoterápicos do Jardim Botânico de Porto Alegre (.pdf 36,32 MBytes)

No lançamento esta tarde, o secretário estadual da Saúde, Francisco Paz explicou que o SUS preconiza o incentivo ao uso da cultura popular para os tratamentos . “ Não podemos ficar atrelados à indústria farmacêutica e à exploração econômica dos medicamentos”. Paz disse ainda que a publicação do e-book mostra a qualidade do trabalho desenvolvido nessa área na saúde do Estado. “ Contamos com conhecimentos técnicos, regionais e das comunidades”, frisou.

 

Projeto Arranjo Produtivo

O projeto Arranjo Produtivo Local tem por objetivo implementar a Política Intersetorial de Plantas Medicinais e Fitoterápicos do RS, prevista na Lei Estadual 12.560/ 06, que é vinculada à Política Nacional do Ministério da Saúde e já repassou recursos para o projeto na ordem de R$ 106 mil para o Estado.

A coordenadora, Silvia Beatriz Czermainski, disse que “ a elaboração do e-book foi um desafio justamente pela intersetorialidade, unindo saúde a meio ambiente e botânica a farmácia”.

Entre as atividades, além do lançamento do e-book, foi realizado um levantamento sobre pesquisas acadêmicas na área e cadeia produtiva de plantas medicinais, chás e fitoterápicos. Também estão previstas a criação de Farmácias Vivas Municipais - estabelecimentos destinados a dispensação pelo Sistema Único de Saúde (SUS), de produtos de hortas e canteiros nas cidades gaúchas.

 

Fonte: Secretaria de Saúde/RS

Foto: Marília Bissigo