Assista aos vídeos das RedesFito. Clique aqui.

Arrow up
Arrow down

Este é um espaço reservado para a apresentação e o registro de iniciativas ou parcerias entre as RedesFitos, com Escritório sediado no Centro de Inovação em Biodiversidade e Saúde (CIBS) e outras redes de pesquisa, formadas por grupos de agricultores familiares, indígenas, quilombolas, instituições de pesquisa e ensino, governo e organizações não governamentais. Todas voltadas para ações que busquem fomentar, discutir, formular e desenvolver parcerias, voltadas às diversas áreas do conhecimento, que colaborem para a promoção da inovação em medicamentos da biodiversidade com responsabilidade ambiental e social.

 

Observatório de Territórios Saudáveis e Sustentáveis da Bocaina Instituto Cabruca

O Observatório de Territórios Sustentáveis e Saudáveis da Bocaina (OTSS) nasce da parceria entre o Fórum de Comunidades Tradicionais de Angra dos Reis, Paraty e Ubatuba (FCT) e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), apoiado pela Fundação Nacional de Saúde (Funasa) e pela Fiotec. Criado com o objetivo de promover o bem viver e ampliar o desenvolvimento sustentável nos territórios tradicionais da região da Bocaina, a iniciativa trabalha de maneira integrada com os povos caiçaras, indígenas e quilombolas.

 

 Instituto Cabruca 

O Instituto Cabruca nasceu com a missão de conservar e valorizar o sistema de produção conhecido como “cacau-cabruca” ou simplesmente "cabruca", palavra que deriva do verbo "brocar", que, por sua vez, significa “fazer buracos na mata para plantar o cacau”. Localizado em Ilhéus e com projetos na Bahia, no Pará e no Espírito Santo, tem atuação nacional e internacional e busca conservar e difundir o sistema cabruca e seu grande potencial para a produção de cacau, frutas, madeira certificada, sementes florestais, plantas ornamentais, fármacos, ecoturismo e água, além do estímulo ao sequestro de carbono.

A instituição também desenvolve programas que contribuem para o combate à pobreza associados à produção de cacau em comunidades vulneráveis e à articulação de políticas públicas que ajudem a manutenção do sistema, a exemplo do programa Cacau Para Sempre, do Estado da Bahia, e da linha de financiamento com ênfase na conservação das cabrucas, o FNE Verde. Além de promover a conservação das cabrucas, o Instituto trabalha para que o cacau brasileiro tenha mais qualidade e seja mais valorizado como alimento. Para isso, desenvolve programas e projetos com ênfase em produção orgânica, certificação socioambiental, fabricação de chocolate em nível local e maior percentual de cacau no chocolate brasileiro, tornando a guloseima mais saudável e conscientizando consumidores da importância do consumo do cacau, que possui alto teor de flavonóides e magnésio, útil para a prevenção de doenças cardíacas e diabetes, por exemplo.

 

Articulação Nacional de Agroecologia (ANA)

A Articulação Nacional de Agroecologia (ANA) é um espaço de articulação e convergência entre movimentos, redes e organizações da sociedade civil brasileira engajadas em experiências concretas de promoção da agroecologia, de fortalecimento da produção familiar e de construção de alternativas sustentáveis de desenvolvimento rural. Atualmente a ANA articula vinte e três redes estaduais e regionais, que reúnem centenas de grupos, associações e organizações não governamentais em todo o país, além de quinze movimentos sociais de abrangência nacional.


Assossiação Brasileira de Agroecologia

A Associação Brasileira de Agroecologia reúne profissionais e estudantes das mais diversas áreas do conhecimento. Desde sua criação, em 2004, a ABA-Agroecologia vem realizando e apoiando ações dedicadas à construção do conhecimento agroecológico. Os esforços da ABA-Agroecologia têm sido o de apoiar e organizar eventos de socialização de conhecimentos; estimular a participação de profissionais que se dedicam a este enfoque; manter publicações para a divulgação científica e técnica; dialogar com a sociedade para despertar o interesse por questões de caráter socioambiental; analisar e propor políticas públicas coerentes com os desafios contemporâneos; e, defender a proteção da biodiversidade como condição indispensável para o alcance de agroecossistemas sustentáveis.


Rede de Sementes do Portal da Amazônia

É um movimento coordenado por grupos de agricultores familiares e organizações não governamentais no sentido de facilitar o acesso as sementes florestais para as ações de recuperação ambiental.A rede está formalizada na forma de uma cooperativa, possibilitando a comercialização de sementes para todas as regiões do Brasil.

 

Rede de Sementes do Xingu

É uma rede de trocas e encomendas de sementes nativas da região do Xingu, Araguaia e Teles Pires, e promovemos os conhecimentos locais sobre uso e recuperação das florestas e cerrados do Mato Grosso.

 

Rede de Sementes do Cerrado

É uma associação sem fins lucrativos, qualificada como OSCIP federal e distrital que, com 14 anos de existência legal tem procurado cumprir sua missão, desenvolvendo atividades que visam a defesa, a preservação, a conservação, o manejo, a recuperação, a promoção de estudos e pesquisas e a divulgação de informações técnicas e científicas relativas ao meio-ambiente do Cerrado, especialmente no Brasil Central.

 

Rede Sementes Livres Brasil

A Rede de Sementes Livres no Brasil é uma entidade sem fins de lucro, criada e mantida por agricultoras, agricultores, pesquisadores e outros cidadãos que propõem uma visão de liberdade para as sementes que geram nossos alimentos.